SEJA BEM VINDO ! VOCÊ É O VISITANTE Nº:

quinta-feira, 18 de maio de 2017

COMUNICADO DO DEPARTAMENTO DE TECNOLOGIA DE SISTEMA E INCLUSÃO DIGITAL

A última sexta-feira, dia 12 de maio, ficou marcada por um grande ataque mundial que afetou mais de 200 mil computadores em cerca de 150 países. Notícias e relatórios apontam que organizações públicas e privadas ao redor do mundo foram impactadas, uma vez que tiveram que parar suas produções, fábricas ou serviços.
O culpado é o ransomware “WannaCrypt”, que utilizou uma vulnerabilidade nos sistemas Microsoft Windows para infectar as máquinas.
Ransomware é um código malicioso que infecta computadores com o objetivo de sequestrar, capturar ou limitar o acesso a dados ou informações de um sistema, geralmente por meio do uso de algoritmos de encriptação, para fins de extorsão. Para obter a chave de decriptação, geralmente é exigido um pagamento (Ransom) usando-se moedas virtuais, tipo “Bitcoins”. A transmissão do Ransomware é realizada via e-mails maliciosos (spam) e arquivos infectados disponibilizados para download.
É importante lembrar que o sucesso da Segurança da Informação depende de todos os servidores, e não só da equipe técnica de TI ou das ferramentas utilizadas para evitar falhas ou ataques maliciosos.
É dever de cada servidor zelar pela preservação das informações de seu órgão, pois atualmente elas são um dos mais importantes ativos do estado e possuem características e restrições distintas.
Grande parte dos ataques atuais busca alguma falha, quer de ordem técnica ou comportamental. Simples e-mails, contendo anexos ou links maliciosos, podem ser uma ameaça que causará um enorme prejuízo para as instituições.
Cabe salientar que, no mesmo dia em que os ataques foram noticiados, a Fundação para o Desenvolvimento da Educação – FDE, responsável técnica pela gestão da segurança de nossa rede, encaminhou comunicado discorrendo sobre a questão, reiterando aos usuários alguns cuidados básicos na utilização dos recursos de rede e internet.
Em complemento, encaminhamos algumas dicas de segurança adicionais, afim de ajudar a prevenir essas ameaças:

1. Backup

Os servidores devem salvar seus documentos ou informações de trabalho em Pastas na Rede Local e/ou serviços de nuvem institucionais, de preferência com backups diários.

É sempre um risco manter as informações apenas nas estações de trabalho e sem backup, pois problemas podem ocorrer, não só causados por estas ameaças, como também por razões técnicas – por exemplo, um HD defeituoso.

2. Uso do e-mail
O servidor sempre deve estar atento a e-mails de pessoas desconhecidas, evitando clicar em anexos de origem duvidosa. Isso é de vital importância, pois uma das principais técnicas de ataque dos hackers continua sendo o envio de e-mails contendo links e/ou anexos maliciosos que, caso acessados, podem provocar vários tipos de danos, dos computadores à própria rede como um todo.

3. Navegação
Ao navegar na internet, o servidor deve evitar acessar sites de conteúdo suspeito ou não autorizados. Nunca baixe qualquer arquivo, de qualquer tipo, de fontes desconhecidas. Da mesma forma, é necessário extremo cuidado com anexos e links recebidos nas redes sociais.

4. Estação de Trabalho (Computador)
Alterações nas configurações do sistema operacional, de rede e de outros programas só são realizadas pelo suporte técnico de sua localidade, e com prévia autorização da chefia imediata, se for o caso.
O procedimento é o mesmo para a instalação de novos softwares.


5. Dispositivos de armazenagem externa
O servidor deve agir com cautela na utilização de dispositivos de armazenagem externa, como pendrives e HDs Externos, pois eles podem conter e-mails de origens duvidosas e até mesmo malwares que podem ser transferidos para a máquina ou para a rede local.


6. Contribua com a segurança
Todo servidor é parte fundamental deste processo de prevenção!
Além dos cuidados básicos aqui listados, é de suma importância que quaisquer situações ou comportamentos que tragam risco para a instituição sejam relatados pelos servidores ao suporte técnico de sua localidade.
A Secretaria da Educação, através do seu Departamento de Tecnologia de Sistemas e Inclusão Digital, em conjunto com a Fundação para o Desenvolvimento da Educação, monitora constantemente toda a rede, certificando-se que sempre serão aplicadas as melhores práticas em todo seu parque tecnológico.
Caso tenha curiosidade sobre esse tipo de assunto, recomendamos a leitura do Manual do Comitê Gestor da Internet no Brasil – http://internetsegura.fde.sp.gov.br/Arquivos/cartilha-seguranca-internet.pdf.

Contamos com a colaboração de todos.

Atenciosamente.

DETEC - Departamento de Tecnologia de Sistemas e Inclusão Digital
CIMA - Coordenadoria de Informação, Monitoramento e Avaliação Educacional

Nenhum comentário: